segunda-feira, 30 de maio de 2011

transFLORmar-la: "Tudo novo de novo..."

transFLORmar-la: "Tudo novo de novo...": "Foto: Jonnygitti O choro secou. Um outono doce impera com seu aconchego de amor e lucidez, suaves. E esse abraço aveludado que chegou re..."

sexta-feira, 27 de maio de 2011

INJUSTIÇA


"— Não confie na frase de sua avó, de sua mãe, de sua irmã de que um dia encontrará um homem que você merece.

Não existe justiça no amor.

O amor não é censo, não é matemática, não é senso de medida, não é socialismo.

É o mais completo desequilíbrio. Ama-se logo quem a gente odiava, quem a gente provocava, quem a gente debochava. Exatamente o nosso avesso, o nosso contrário, a nossa negação.

O amor não é democrático, não é optar e gostar, não é promoção, não é prêmio de bom comportamento.

O melhor para você é o pior. Aquele que você escolhe infelizmente não tem química, não dura nem uma hora. O pior para você é o melhor. Aquele de quem você procura distância é que se aproxima e não larga sua boca.

Amor é engolir de volta os conselhos dados às amigas.

É viver em crise: ou por não merecer a companhia ou por não se merecer.

Amor é ironia. Largará tudo — profissão, cidade, família — e não será suficiente. Aceitará tudo — filhos problemáticos, horários quebrados, ex histérica — e não será suficiente.

Não se apaixonará pela pessoa ideal, mas por aquela que não conseguirá se separar. A convivência é apenas o fracasso da despedida. O beijo é apenas a incompetência do aceno.

Amar talvez seja surdez, um dos dois não foi embora, só isso; ele não ouviu o fora e ficou parado, besta, ouvindo seus olhos.

Amor é contravenção. Buscará um terrorista somente para você. Pedirá exclusividade, vida secreta, pacto de sangue, esconderijo no quarto. Apagará o mundo dele, terá inveja de suas velhas amizades, de suas novas amizades, cerceará o sujeito com perguntas, ameaçará o sujeito com gentilezas, reclamará por mais espaço quando ele já loteou o invisível.

Ninguém que ama percebe que exige demais; afirmará que ainda é pouco, afirmará que a cobrança é necessária. Deseja-se desculpa a qualquer momento, perdão a qualquer ruído.

Amar não tem igualdade, é populismo, é assistencialismo, é querer ser beneficiado acima de todos, é ser corrompido pela predileção, corroído pelo favoritismo. É não fazer outra coisa senão esperar algum mimo, algum abraço, algum sentido.

Amor não tem saída: reclama-se da rotina ou quando ele está diferente. É censura (Por que você falou aquilo?), é ditadura (Você não devia ter feito aquilo!). É discutir a noite inteira para corrigir uma palavra áspera, discutir metade da manhã até estacionar o silêncio.

Amor é uma injustiça, minha filha. Uma monstruosidade.

Você mentirá várias vezes que nunca amará ele de novo e sempre amará, absolutamente porque não tem nenhum controle sobre o amor." - Fabricio Carpinejar

PORTO ALEGRE

Porto Alegre = leitura. Isso mesmo, grandes escritores são de lá. Mario Quintana não nasceu, mas mudou-se jovem onde trabalhou como jornalista. Foi considerado  "poeta das coisas simples", com um estilo marcado pela ironia, pela profundidade e pela perfeição técnica. Tive a oportunidade de conhecer o local de sua moradia - o Hotel Majestic, hoje a Casa de Cultura Mario Quintana. O prédio pertence ao Governo do Rio Grande do Sul e conta com  teatro , três salas de cinema, cafés, bombonière, livraria, e inúmeras salas com destinações específicas e outras tantas de uso múltiplo. Outro escritor que gosto muito é Caio Fernando de Abreu, como Mario Quintana foi jornalista e colaborador em diversos jornais e revistas. A melhor definição que encontrei de Caio, foi: "Apontado como um dos expoentes de sua geração, a obra de Caio Fernando Abreu, escrita num estilo econômico e bem pessoal, fala de sexo, de medo, de morte e, principalmente, de angustiante solidão. Apresenta uma visão dramática do mundo moderno e é considerado um "fotógrafo da fragmentação contemporânea". Não poderia deixar de citar Martha Medeiros. Comecei a ler Marta mesmo antes da mídia descobrí-la. Martha Medeiros escreve olhando para nós. Tive a oportunidade de conhece-la na Bienal do Livro de 2008 e disse isso a ela. Uma simpatia de pessoa. E por fim, essa que foi minha última descoberta: Fabricio Carpinejar. Com muitos prêmios recebidos, tem uma particularidade na escrita de seus textos. Diz sim ao amor!. Tem como não gostar de POA? Sempre quis conhecer essa cidade de onde vieram tantos textos lindos. A beleza do rio Guaíba! as construções, a limpeza de uma cidade!.


                                           Eu, com Martha Medeiros - Bienal do livro 2008

quarta-feira, 25 de maio de 2011

FLORIANÓPOLIS - A ILHA DA MAGIA


Meus próximos textos serão sobre os lugares que estive, as pessoas que conheci e os aprendizados, sim, isso é possível!Não podemos perder a oportunidade de conhecer lugares e pessoas. Sim, eu amo conhecer pessoas! A primeira cidade que fui trabalhar nesse ano foi Florianópolis - a ilha da magia. A cidade dispensa comentários, linda! Conheci Floripa em 2003 numa viagem de férias e tive a oportunidade de voltar a trabalho nesse ano. O trabalho em feiras proporciona o contato direto com o ser humano, em nenhum momento estamos sozinhos. Seja com o colega de trabalho no hotel, seja em atendimento com o público.Isso é difícil. Você não consegue ter seu momento único, sabe aquele? no qual você quer ficar quietinho? não, não conseguimos. Como tudo na vida, precisamos tirar o lado bom das coisas e observando pessoas e comportamento descubro que o mais lindo aprendizado foi a percepção do quanto sou minha melhor amiga. E por que descubro isso? porque consigo ficar só, eu me basto! hoje posso dizer que a solidão é minha amiga.Simples assim.
Essa frase já postei por aqui, mas vale a pena repetir:

"Lembre-se sempre de ser verdadeiro consigo mesmo. Para isso, é preciso estar atento a três coisas. Primeiro, nunca ouça alguém que diga o que você tem de ser. Ouça sempre a sua voz interior, o que você gostaria de ser. Do contrário, toda a sua vida será desperdiçada." - Osho

E lá estava a D. Isabela se redescobrinho e achando lindo o SEU viver!!! obrigada, Floripa!


Olá queridos e queridas!!! voltei!!! depois de uma ausência nada justificável, volto a escrever. Aliás até tem uma justificatica..hehehe... foram muitas viagens,trabalho e o blog ficou órfão. Mas... ele tem uma "mãe" que não o abandona!. Nesse tempo de ausência li um livro bárbaro: "Amar de Olhos Abertos", comprei sem querer num passeio ao shopping com minha amiga Marcia! gente, é preciso ler e reler várias vezes, porque é muito bom e com certeza irei postar trechos por aqui. Bom, vamos a criação dos textos! Deixo aqui uma foto tirada na Universidade Livre do Meio Ambiente em Curitiba, lugar magnífico. Beijocas e fiquem bem.