domingo, 3 de abril de 2011

Avesso


_ “mas eu posso contar com você mesmo? Olha vai ser rápido precisamos ensaiar antes. A pessoa que vai dividir a cena com você é uma graça,mas ela nunca participou”
_ “ não, quer dizer sim, pode contar comigo. No sábado damos uma ensaiada. Sim, estarei lá”.

E assim eu fui. Pensei, pensei, não queria ter aceitado. Estava tão ocupada com as viagens que não queria me envolver com mais uma atividade. Mas eu fui. Algo dentro de mim dizia que iria ser diferente, uma mistura de ansiedade com calma. Eu já tinha feito isso antes, mas estaria num local e com pessoas que não conhecia. Quer dizer, conhecia três ou quatro. A apresentação foi um sucesso, todos adoraram. Deixei por último o apartamento. Na portaria, encontrei com a pessoa que havia dividido a cena comigo e decidimos tomar uma cerveja. Descobrimos muitos pontos em comum, conversamos bastante. E quando o assunto foi relacionamento, ela falou de você. Depois de trinta minutos você apareceu, foram te buscar para que eu te conhecesse. O tempo faz tudo valer a pena. Olha não queria ter aceitado o convite, mas olha aí... se não tivesse aceitado, não teria te conhecido, ou teria? Acho que não, porque foi tudo tão rápido, tão delicioso. Recuso-me a ficar pensando no que pode acontecer(mas torçam por mim, tá?). Depois de alguns dias, fuçando no computador, em alguns textos que guardo e pensando no que aconteceu nos últimos anos e naquele dia, me identifiquei com um texto extraído do filme “ O Amor não tira férias” que diz assim: “....Sei que é difícil quando as pessoas dizem ‘sei como se sente’, mas realmente sei como se sente.Estou tentando te dizer que compreendo como é se sentir pequeno e insignificante como ser humano. Como isso dói em lugares que nem sabíamos existir lá dentro.
E não importa seus novos cortes de cabelo, suas novas academias, nem os copos de Chardonnay que beba com suas amigas, quando se deitar, continuará relembrando cada detalhe e se perguntando o que faz de errado ou por que não percebeu.
E como pôde, por aquele breve momento achar que era feliz? Pode até se convencer que ele vai se tocar e aparecer na sua porta. E depois de tudo isso seja lá o tempo que demorar você vai para um lugar diferente e conhecer gente que a faz se sentir querida e os pequenos pedaços da sua alma finalmente retornarão. E toda aquela bagunça, todos aqueles anos que você perdeu na sua vida começarão a desaparecer”.



Nenhum comentário:

Postar um comentário